Empreendedorismo feminino: 4 dicas para se inspirar

Empreendedorismo feminino: 4 dicas para se inspirar

Empreendedorismo feminino, o que é isso, afinal? E por qual motivo ele é tão importante e potente?

Se você chegou até aqui é porque soou em você a vontade de transformar a sua vida e a vida da comunidade que você está inserida possivelmente. 

O empreendedorismo, o feminino em específico, pode ser o caminho, pois ele é baseado em sororidade, rede de apoio e força! Vamos entender melhor sobre o tema?

O que é empreendedorismo feminino?

O empreendedorismo feminino diz respeito aos empreendimentos comandados por mulheres. Isso inclui não só mulheres que são donas de seus próprios negócios, como também as que estão em cargos de liderança nas empresas. 

É fato que o empreendedorismo feminino tem se tornado um movimento. Cada vez mais as mulheres se enxergam como líderes e buscam desenvolver suas próprias ideias. Por esse motivo, estão desbravando espaços excludentes que, na maioria das vezes, não foram pensados para elas.

Além disso, esse movimento considera a diversidade. Em outras palavras, não basta ter mulheres de apenas um perfil empreendendo. É sobre também ter mulheres negras, gordas, PCDs e mães nas tomadas de decisão. Dessa forma, temos um movimento que de fato reduz desigualdades e é mais transformador. 

Qual a importância do empreendedorismo feminino para a sociedade?

Em primeiro lugar, sabemos que o mundo corporativo é um ambiente masculino e machista. Por esse motivo, durante muito tempo somente os homens tinham o poder de administrar comércios e empresas. Nesse sentido, no momento em que mulheres conquistavam espaços como gestoras ou donas de seus empreendimentos, passavam por muitas dificuldades. Entre elas o preconceito, a falta de conhecimento e poucas oportunidades financeiras. 

Como consequência, as mulheres foram invisibilizadas no mundo do trabalho. Afinal, as mulheres sempre estiveram em espaços subalternos e nos negócios não foi diferente. Não à toa, foi somente em 1990 que se começou a registrar mais conquistas femininas no mundo corporativo. A partir daí – com os primeiros registros de histórias de sucesso – ficou nítido o poder de transformação que os negócios geridos por mulheres têm na sociedade. 

Esse poder tem a ver com a colaboração. Todas as vezes que uma mulher se move, movimenta a todos em sua volta. Por esse motivo, mulheres contratam mais mulheres, oferecem ajuda e formam redes de apoio. São essas redes que são fundamentais para a prosperidade de qualquer negócio.

Veja também: O que é um negócio de impacto social?

Empreendedorismo feminino: exemplos de mulheres empreendedoras 

Existem alguns perfis de empreendedoras: 

Mulheres que empreendem buscando a migração de carreira. Nesse caso, geralmente, temos uma mãe que deseja mudar o ritmo de vida e estar mais perto de sua prole no desenvolvimento infantil. Por isso, opta por empreender, já que sabemos que o ambiente corporativo não é o mais saudável, não é mesmo?

Temos também a empreendedora que observa um problema social e não encontra no mercado recursos para resolver tal problema. Portanto, opta por ela mesma desenvolver essa solução. O bom desse projeto é que ele não só vai lhe trazer uma satisfação pessoal, como também vai ajudar outras pessoas que tenham em comum a mesma necessidade. 

E por último, porém não menos importante, temos a “business woman”. Essa é a empreendedora que enxerga uma oportunidade e vai em frente desenvolver um negócio. Geralmente, esse perfil tem uma visão mais robusta dos desafios de se empreender. Além disso, ela estuda  a viabilidade financeira do projeto, faz plano de negócios e tem como investir. Ou seja, é uma empreendedora mais planejada.

Time da Herself 100% composto por mulheres no aniversário de 5 anos da marca. Foto: Leli Baldissera

4 dicas para ser uma mulher empreendedora

Um fator que vai atingir a todos os perfis acima são as dificuldades de se empreender no Brasil, sobretudo sendo mulher.

Dito isso, é sempre bom lembrar algumas dicas básicas para te auxiliar nessa jornada do empreendedorismo feminino:

  • Avalie minimamente o setor que tem desejo de abrir um negócio. Por isso, pesquise e converse com pessoas que já tenham experiência na área. Além disso, busque estudar e consuma conteúdo sobre a área de interesse. Depois disso, tente fazer algum tipo de teste antes de apostar todas as fichas nessa nova empreitada, viu?
  • Registre sua empresa Afinal, é assim que você garante seus direitos e deveres e se posiciona com mais profissionalismo. É possível abrir um CNPJ na categoria MEI (microempreendedor individual) de forma muito simples e segura. 
  • Separe as suas receitas e despesas da PF (pessoa física) e da PJ (pessoa jurídica). Essa dica aqui, minha amiga, pode ser crucial para a saúde financeira do seu empreendimento. 
  • Tenha metas claras, que sejam factíveis e que tenham datas estabelecidas. Dessa forma, fica mais fácil saber onde você quer chegar e você terá clareza no traço do caminho a ser percorrido.

Empreendedorismo feminino com a Herself: seja uma revendedora

Você já pensou em empreender, mas não sabia ainda como começar? Queremos ampliar nosso impacto e você pode estar junto conosco. 

Temos um projeto chamado REVENDA 2.0, que está captando revendedoras. Nesse projeto, estamos buscando mulheres que se conectem com os nossos propósitos e valores. Assim, abraçamos a causa da dignidade menstrual juntas e espalhamos outras sementes por aí. 

Para participar, acesse esse link e preencha o formulário. Vamos adorar ter você em nosso time. 

Ou envie um e-mail para [email protected].

Vem com a gente nessa? 

Share this post

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.