Masturbação feminina sem tabus

Masturbação feminina sem tabus

Vamos celebrar a masturbação feminina, o amor próprio e os orgasmos múltiplos? SIM <3

A masturbação é uma fonte infinita de possibilidades: de autoconhecimento e de prazer. Como já falamos aqui, se tocar é uma forma de descobrir as potencialidades do nosso corpo e promover a autoestima em todos os sentidos. Afinal, não existe fórmula mágica pra todo mundo! O processo de se descobrir, sem amarras, é o que torna o ato de se dar prazer tão potente!

Mas, ao que parece, ainda enfrentamos vários obstáculos nesse sentido, né? De acordo com uma pesquisa realizada pela USP, em 2017, 40% das mulheres brasileiras – das que vivem em grandes cidades – não se masturbam. E isso pode ter várias (não) motivações: tabu, vergonha, falta de vontade de se tocar, medo de frustrações… Nós sabemos, miga, não se sinta sozinha, viu? Então, caso a masturbação ainda não seja rotina na sua vida, fica aqui que esse texto é pra você também!

Leia também sobre a importância de começar a se tocar: O prazer feminino e o autoconhecimento

Conheça ele…

Ah, o clitóris, o nosso órgão exclusivo de prazer… O único “ele” que a gente precisa <3

A descoberta da anatomia inteira do clitóris é recente. Em 1998, a Dra. Hellen O’Connel conduziu a pesquisa que revelou o clitóris não mais como uma “bolinha residual” (em comparação à anatomia masculina, que sempre foi tida como referência para tudo), mas como um órgão complexo e muito maior por dentro! Na verdade, a parte externa, que já é fantástica, é como a ponta de um iceberg. A maior parte do clitóris se estende por dentro da gente.

Ilustração da Meu Clitóris Minhas Regras dele inteirinho (em tons de rosa, atrás da sombra da vulva, em branco). Lindíssimo, né?

O clitóris tem cabeça, bracinhos e perninhas que chegam a cerca de 10 cm! Essas perninhas “abraçam” o canal vaginal e a uretra. Para completar, o clitóris é composto de tecido erétil. Ou seja: quando nos excitamos, ele enche de sangue, dobra de tamanho e fica durinho! E super sensível, claro.

Mas obviamente ele e a forma como ele reage não são iguais para todas nós – somos únicas, afinal. Todas nós temos um sistema nervoso pélvico super complexo, e que se ramifica de forma diferente e única para cada pessoa – como se fosse uma impressão digital mesmo, sabe? É por isso que cada uma sente prazer com um estímulo diferente e em pontos diferentes.

Vontade de se tocar

Precisamos ter em mente que a libido (leia-se: desejo sexual) se retroalimenta. Ou seja: quando você sente desejo e conecta isso com coisas boas – no caso, o prazer – mais desejo você vai sentir.

Os orgasmos ativam o sistema de recompensa do nosso cérebro – assim como praticar esportes ou comer uma sobremesa gostosa. Por trazerem sensação de bemestar, queremos sempre mais. Logo, toques prazerosos pedem para ser repetidos. Quando nos masturbamos e sentimos prazer, nos conectamos com nosso corpo e ativamos a necessidade dele de receber prazer.

Mas sim: para ativar esse sistema maravilhoso, é preciso um empurrão inicial de descobrir o que gosta e tirar um tempinho para se agraciar com esse presente. Se tá difícil de encontrar, construa a própria motivação, certo?

Entrando na “bolha do desejo”

Você sabe o que te excita?

Entrar nessa bolha do desejo – que pode e deve ser de si mesma também! – é o que ajuda a retroalimentar a libido, como já falamos. Para ajudar nisso, explore o seus pensamentos e fantasias. Não precisa ter vergonha: todo mundo faz isso e bom, ninguém vai ler a sua mente, né?

Embora o desejo e a excitação quase sempre não venham quando estamos apenas “relaxadas”, e sim eufóricas e ativas, para conseguir atingir orgasmos em si se faz sim necessário um bom nível de relaxamento. Pelo menos para a maioria das pessoas, é difícil aproveitar e intensificar o prazer com outras preocupações em mente, ou sob a tensão de ser interrompida. Por isso, cuidar da mente e priorizar lugares que te deem conforto e segurança quando for se masturbar é super importante!

Qual o melhor jeito de se masturbar?

Lembra que falamos da importância de se explorar e se descobrir com as próprias particularidades, já que não existe manual de instruções para todo mundo? Pois é!

Tem quem prefira estimulação da parte externa do clitóris, tem quem prefira estimular ele por dentro da vagina, ou então as duas coisas juntas… Tem quem goste de usar os dedos, quem prefira “roçar” e quem ame usar brinquedinhos e acessórios. Olha quanta diversidade e possibilidade, hein?

Logo, se você é iniciante nesse universo, ou até veterana que quer testar novas possibilidades, se liga nas dicas:

• Experimente variar a posição em que se masturba: tente de barriga para cima, de bruços, de lado, sentada, com as pernas cruzadas ou esticadas.

• Se toque com os dedos por cima da calcinha: principalmente se você tem bastante sensibilidade na cabecinha do clitóris (o que é bem comum) e sente certa “agonia” do toque direto, certamente experimentar o toque por cima de uma peça pode ajudar muito!

• Teste movimentos circulares no clitóris, e também movimentos de “para cima e para baixo”. É bem comum ter preferência, mas muita gente gosta dos dois tipos! E ah, aproveite a pele dos lábios externos para “amortecer” o toque 😉

• Varie a pressão até descobrir qual é mais legal em cada momento. Contrair as coxas é legal também!

• Experimente deitar de bruços ou “sentar” sobre um travesseiro ou toalha de banho enrolada e se esfregar nele(a).

• Se quiser experimentar brinquedinhos, um bastante “democrático” é o bullet – um bastãozinho que vibra para estimular a parte externa do clitóris.

• Se for usar objetos, o ideal é que sejam específicos mesmo, por segurança. E sempre bem higienizados (usar camisinha neles é uma boa opção).

• Não tenha receio de usar lubrificante. É bom deixar tudo bem molhado e escorregando, e é uma oportunidade de inclusive testar aqueles lubs que causam sensações, como os que esfriam ou esquentam!

• Quer estimular mais a sua “bolha de tesão”? Que tal buscar contos eróticos escritos por mulheres? Ou escrever os seus próprios? Huumm.


O principal é: se conheça, sem pressão e sem limites!

Masturbação é autocuidado também. É você com você mesma. Você merece sentir prazer e tem um sistema inteirinho que existe só para isso <3

Não se preocupe se demorar para pegar o jeito, ou se algum toque específico não te agrada. Todo mundo tem seus gostos, e você certamente vai encontrar os seus!

Quer compartilhar mais dicas com a gente? Escreve aqui embaixo nos comentários!

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


1
Herself