Para tensionar as estruturas da moda: coleção Plurais | calcinhas menstruais em 6 tons de nude

Para tensionar as estruturas da moda: coleção Plurais | calcinhas menstruais em 6 tons de nude

Você já parou pra pensar em por que quando se fala em nude, uma única cor – clara, bege, rosada – vem em mente? Ou por que a maquiagem “natural” apaga todas as marcas que nos fazem autênticas? E por que é que essas marcas são chamadas de imperfeições?

Enfim, por que a pele considerada bonita – pela indústria – é a lisa, branca, uniforme?

Com a coleção Plurais, queremos questionar e subverter todos esses padrões estabelecidos pela indústria da beleza e da moda, ressignificando a pele bonita como aquela que é única.

Lançamos a nossa coleção de calcinhas absorventes em 6 diferentes tons de nude. No sábado, dia 24/08 às 19h, para comemorar o lançamento, vamos ter uma roda de conversa sobre pluralidade na moda na loja Chica Bolacha, que é referência em moda plus-size em Porto Alegre.

 

A nova calcinha que recebe a gama de tons nude vai ser a Dandara – em homenagem à Dandara dos Palmares, guerreira negra do período colonial do Brasil. A ideia da cartela de cores surgiu da inquietação da “cor da pele”, sempre associada ao bege e rosa claro.  As estruturas sociais colocam as mulheres como iguais e, por isso, a indústria da beleza e vestuário sempre tratou a cor nude como uma só. Agora, elas vêm a passos lentos trazendo representatividade com mais opções de lingerie nude. Mas além da inclusão, precisamos protagonizar as mulheres negras, pois a moda precisa ser um instrumento de transformação social.

Representação e diversidade estão no nosso DNA: nossa grade de tamanho das calcinha absorvente, biquínis e maiôs menstruais vai do 30 ao 60, e sempre buscamos criar imagens na comunicação com um impacto positivo no bem-estar e autoestima da mulher. É próprio da moda o ideal estético de uma pele clara, perfeita e imaculada. Queremos enfatizar a pele, e as características normalmente banidas das mulheres por parte das indústrias – como a acne, celulite, estrias, cicatrizes, sardas e pelos – pois elas representam as características únicas de cada pessoa. Queremos ir contra esses padrões impostos na mídia mas praticamente inexistentes na realidade.

A Carol, uma das modelos da nossa campanha, falou tudo: “as pessoas acabam passando a vida inteira se questionando sobre a sua beleza – e não porque elas não são bonitas, mas porque elas nunca se enxergaram”.

Como seria se mais e mais pessoas amassem as suas próprias peles? Se você gostou da ideia, pode nos marcar (@oiherself) que vamos adorar conhecer mais da sua história e compartilhar nas nossas redes. Assim, juntas, incentivaremos outras pessoas a amarem mais as suas peles 🙂

 

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


0
Herself