Ceci: autoafeto para todos os ciclos

Ceci: autoafeto para todos os ciclos

por Herself
|
07/08/2020
|
, ,

Somos únicas, somos muitas, somos uma só.

Cada uma de nós é única, mas existe uma espécie de laço invisível que nos une umas às outras. Pra nós, singularidade e pluralidade estão sempre ligadas. A pluralidade é o que acolhe nossas singularidades. Essas coisas que fazem parte do nosso jeito de ser e nos tornam únicas. O amor próprio faz isso também, só que em outro sentido: o da pessoa em relação a si mesma.

Quando o autoafeto nasce dentro da gente, é certo que ele vai se espalhar e contaminar tudo à nossa volta. E aí nos tornamos mais plurais. É como o início de um novo ciclo. Ou seja, mais um entre tantos outros.

Ciclo é o que não falta na vida da gente

O ciclo menstrual não é o único. Temos muitos, muitos outros.

A saída da adolescência, mais tarde a entrada na vida adulta, estudos, carreira, relacionamentos amorosos ou não, a saída de casa, a construção de uma família… Todos esses são momentos intensos nos quais mergulhamos. Transformações que vão marcando nossa história e nossos ciclos.

Abraçando e entendendo as transformações

À medida que vamos amadurecendo, vamos entendendo essa coisa de viver em ciclos. (Como a lua? Talvez. Ou melhor, sim. Bem como a lua.) Aprendemos a reconhecer necessidades e desejos. Descobrimos atitudes e hábitos que nos fazem bem. (E também alguns que não nos ajudam em absolutamente nada, né?).

Enquanto isso, talvez já tenhamos filhos, talvez não. Talvez já saibamos o que queremos ser na vida. O que queremos fazer com ela. Talvez já tenhamos descoberto nossa vocação, nosso propósito. Talvez não. 

Mas sem dúvida, quando nos tornamos adultas, entramos em uma fase muito ativa. E cheia de transformações.

Calcinha menstrual Ceci

Você já se imaginou com quarenta anos?

Feche os olhos e imagine você, já bem acostumada a ser auto-suficiente. Auto-sustentável.

Imagine você lembrando que um dia era o centro de suas próprias atenções. Mas só lembrando, porque agora tem um monte de coisa acontecendo ao mesmo tempo. Relacionamentos, trabalho, carreira, filhos ou não filhos, contas, família, amigos, vizinhos. A comunidade onde vive. Os grupos dos quais faz parte. Antes você era parte de uma célula. Agora você é a célula. Você é quem manda. Você pode continuar sendo o centro das suas atenções. Mas, tem bem mais coisa envolvida agora, né?

Você mudou!

Como nos sentimos quando tanta coisa dentro de nós também pertence ao lado de fora? Será que esquecemos do nosso “modelo original”? É isso que se chama amadurecer? O autoafeto resiste a tantas transformações?

Era muita curiosidade dentro da gente querendo sair. Não estaria na hora de uma nova cocriação? Claro que sim! A gente andava mesmo querendo transformar a calcinha Ceci.

Então, lá fomos nós. Decidimos realizar grupos focais de cocriação com mulheres de mais de quarenta anos. Queríamos que elas nos ajudassem a transformar a Ceci. Ao mesmo tempo, queríamos aprender com elas a entender e abraçar nossas próprias transformações. 

Mas o que aconteceu foi muito maior do que isso. Foi um momento de despertar para o autoafeto em cada uma de nós. E como não podia deixar de ser, ele extravasou e começou a se espalhar por tudo à nossa volta. 

A nova Ceci nasceu desse momento, então ela está cheia de afeto pra espalhar entre nós. Seja em que fase a gente estiver.

Calcinha menstrual Ceci

Aqui a gente conta um pouquinho mais sobre essa cocriação. Vem conferir? <3

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Quer ver algum tema específico no blog? Conta mais!





Preencha os campos abaixo e receba nossas novidades

Entre com a gente nessa <3