Coletor menstrual ou calcinha absorvente: qual escolher?

Coletor menstrual ou calcinha absorvente: qual escolher?

por Victoria Castro
|
16/04/2019
|
, ,

Se você chegou aqui, é porque provavelmente está pensando em trocar os absorventes descartáveis por um coletor menstrual ou uma calcinha absorvente. Ou já usa o coletor e quer saber se a calcinha pode ser uma boa também, certo?

Fica aqui que vamos analisar as opções juntas 🙂

Descartáveis X Reutilizáveis

Chamamos de protetores menstruais qualquer tipo de dispositivo/peça que contenha o fluxo menstrual ou outros sangramentos, impedindo que o fluxo passe para as roupas.

Os protetores menstruais podem ser descartáveis ou reutilizáveis. Os descartáveis, como o nome já diz, são utilizados uma vez e se tornam lixo, enquanto os reutilizáveis são possíveis de serem lavados, higienizados e utilizados novamente por várias vezes.

Os absorventes comuns, de algodão, são descartáveis – tantos os internos quanto os externos.

O coletor menstrual e a calcinha absorvente são laváveis e reutilizáveis por várias vezes, sendo mais sustentáveis – por gerarem menos lixo – e ainda poderem representar uma economia ($$) a médio prazo.

Como funcionam

Protetores menstruais podem ser internos ou externos. Os internos são inseridos dentro do canal vaginal, enquanto os protetores externos ficam em contato com a vulva, absorvendo o fluxo que já saiu do canal vaginal.

O coletor menstrual é um protetor interno, enquanto a calcinha absorvente é um protetor externo.

O coletor menstrual é um copinho, geralmente de silicone, que é colocado dentro do canal vaginal e coleta o fluxo menstrual que sai pelo colo do útero. Ele é inserido dobradinho, e se abre dentro da vagina. Após o uso (até 12h), você retira, descarta o sangue, lava e insere novamente. Existem em vários modelos e tamanhos!

Já a calcinha absorvente Herself é uma calcinha normal, exceto por um detalhe: ela tem camadinhas de tecidos tecnológicos que absorvem a menstruação. Após o uso (até 12h), você retira, lava e coloca para secar, para depois utilizar novamente. Também existem em vários modelos e tamanhos (do 30 ao 60!).

Qual é o melhor?

Primeiramente, um protetor menstrual é algo íntimo e pessoal, então não existe um que seja melhor pra todo mundo. Todas as pessoas são diferentes e possuem necessidades diferentes – inclusive no que se relaciona à menstruação!

Sendo assim, pode existir o melhor protetor menstrual para você! E ele pode mudar!

Pode ser que, em algum momento da sua vida “menstruante”, um coletor menstrual ou outro protetor interno seja o mais prático para as suas necessidades, e em outros momentos, você se sinta muito mais confortável com um protetor externo, menos “invasivo”, como a calcinha menstrual.

Também pode acontecer também de você gostar e se adaptar a vários protetores menstruais diferentes, e manejar o uso de acordo com a sua preferência para cada dia do período menstrual – considerando a intensidade do fluxo a cada dia, e as horas que pretende usar cada um dos protetores.

Inclusive, várias pessoas gostam de alternar o uso do coletor menstrual com a calcinha absorvente. Eu, particularmente, sou uma delas: me adaptei aos dois e o uso “casado” fez total sentido para mim, aumentando muito o conforto e a praticidade necessários durante o período menstrual.

Por isso, vou te ajudar a analisar os possíveis custos e benefícios de cada um deles:

Como escolher?

Os fatores que vão te levar a escolher um deles (ou os dois) são super únicos, como já falamos.


Só você pode decidir quais as prioridades que valoriza durante o seu período menstrual, se precisa de mais conforto, se quer um investimento inicial menor, se quer uma adaptação provavelmente mais tranquila, etc. Vamos para alguns pontos principais:

1) Contexto de vida

Se você é pré-adolescente e está a espera da sua primeira menstruação ou tendo seus primeiros ciclos, é provável que você se sinta mais confortável com a ideia de utilizar um protetor externo, como a calcinha. Ela é bem mais intuitiva e não precisa de “destreza” para mexer por dentro do canal vaginal, por exemplo. Isso é um impeditivo para usar o coletor? Claro que não! Se você se sente à vontade, pode tentar se adaptar ao coletor menstrual, que existe em vários tamanhos. Lembrando que protetor internos não “tiram” a virgindade, ok?

Para entender melhor sobre hímen e virgindade, leia a curiosidade número 10 do texto 13 curiosidades sobre a vagina que você PRECISA saber

Caso você esteja no período pós parto (quarentena), o coletor ou outros protetores internos também não são indicados.

Ponto pra calcinha!

2) Capacidade

Em termos de capacidade, geralmente os coletores menstruais – em especial os maiores – levam vantagem em relação a outros protetores do mercado. Isso porque o sangue fica todo acumulado no copinho, não depende de se espalhar de modo uniforme em todo o protetor absorvente, sabe?

A camada absorvente das calcinhas são bem compridas, mas é normal ter gente que menstrua mais “no meio”, ou mais pra trás, mais pra frente… Já o coletor pega “direto da fonte” e mantém tudo juntinho.

Tem fluxo master intenso? Leia os 6 passos para entender e lidar com o fluxo menstrual intenso

Ponto pro coletor!

3) Adaptação

Todo protetor requer um período de adaptação, para você entender o seu fluxo e o quanto de tempo pode passar sem risco de vazamentos.

Se você utilizou absorventes externos quando começou a menstruar, deve lembrar que demorou um tempinho até decidir qual o absorvente mais anatômico, a posição em que ele deveria ficar na calcinha etc, né?

Porém, nesse sentido, a calcinha costuma levar vantagem, justamente por já termos costume de vestir calcinhas. Não é preciso testar dobras e posições diferentes, apenas se certificar de que o modelo e o tamanho estão bem ajustados. Sem mistério.

Ponto pra calcinha!

4) Investimento e durabilidade

O investimento inicial para ambos parece bem alto, mas em relação aos descartáveis, são bem mais vantajosos a médio e longo prazo! É possível encontrar coletores menstruais de boa qualidade na faixa dos R$60-110, e as calcinhas variam entre R$75 e 95 >> veja os modelos aqui <<

Porém, se você der sorte de escolher um coletor bom e confortável para você, de cara, basta ele para todo o período menstrual. Por outro lado, se optar por utilizar apenas calcinhas menstruais, indicamos ter pelo menos 3 peças – para usar uma enquanto as outras secam. Logo, o investimento inicial para as calcinhas é maior.

Sobre a durabilidade: as calcinhas, bem cuidadas, garantem total absorção e ação antimicrobiana (para evitar odores) por pelo menos 48 lavagens, o que dá uns 2 anos – caso a mesma calcinha seja utilizada 2 vezes por mês. Os coletores, bem cuidados, duram em média de 3 a 5 anos.

Ponto pro coletor!

5) Sensação e conforto

Agora entram os empates técnicos.

Já falamos em subjetividades, mas talvez sensação e conforto sejam a maior delas!

Tem gente que gosta de sentir o sangue “fluindo”, sentir que tá menstruada, e o coletor tira essa sensação. Tem outras pessoas que preferem não ter essa sensação – eu sou uma delas! (Mas vale lembrar que o coletor não dá sensação “seca”, justamente porque não absorve fluidos e porque a nossa lubrificação vem da entrada da vagina, e portanto o coletor não interfere nela)

Há outros pontos também: o coletor menstrual não deve ser sentido quando está dentro da vagina, mas algumas pessoas são mais sensíveis a utilizar objetos internos e sentem algum desconforto na bexiga ou algumas cólicas leves, por exemplo. A calcinha, no tamanho e modelo adequados, é tão confortável quanto uma calcinha não funcional, comum, mas que pode incomodar quem não está acostumada a usar calcinha, por exemplo.

Logo, vai depender do seu perfil e do que você considera conforto.

6) Praticidade

A noção de praticidade também vai depender da sua rotina de higiene menstrual e do seu acesso a banheiros e à privacidade no dia a dia. E claro, da sua necessidade de trocar o protetor, dependendo da intensidade do fluxo em cada dia.

Se você passa menos tempo fora de casa, é tranquilo e prático lidar com ambos, que podem ser utilizados por até 12 horas – e é bem importante respeitar o tempo limite de uso, por questões de higiene, tá?

Se precisar trocar na rua, o que você necessita é: uma pia e sabão para higienizar as próprias mãos e também o coletor, antes de colocá-lo de novo; e, no caso da calcinha, ao trocá-la por uma limpa, você precisa de uma sacolinha ou necessaire impermeável para colocar a calcinha usada até chegar em casa e poder lavá-la.

Para quem está com algum problema de mobilidade ou tem alguma deficiência física, cada um tem suas vantagens: a calcinha pode ser vestida com o auxílio de outra pessoa (sem ser algo invasivo) e o coletor pode ser colocado com apenas uma mão, se houver prática. Ou seja: vai depender das necessidades e possibilidades de cada pessoa em cada momento 🙂

7) Higiene

Ambos são opções igualmente higiênicas e que geram muito menos (ou nenhum) odor, se comparados aos absorventes descartáveis.

Isso porque, no caso do coletor, o sangue não entra em contato com tanto ar, diminuindo a velocidade da sua oxidação. E, no caso da calcinha, o tratamento antimicrobiano dos tecidos evita a proliferação de bactérias e fungos que poderiam causar algum mau odor. Só vantagem, né?

E claro, devem ser higienizados adequadamente após o uso – e isso faz toda a diferença na durabilidade deles, também.

Mais empates técnicos…

8) Estética

O coletor nem aparece – afinal, fica dentro da vagina – e a calcinha Herself ainda é bonita e valoriza o corpo. Sem cordinhas pra fora ou abas aparecendo na calcinha.  Não precisa dizer mais nada, né?

9) Segurança

Quando falamos em vazamentos, é importante termos em mente que, infelizmente, o risco sempre existe, e nenhum protetor menstrual é totalmente “a prova” de vazamentos.

Se você nunca teve algum vazamento com absorventes, você é privilegiada sim

Nesse sentido, conhecendo a intensidade do seu fluxo em cada dia do período menstrual e já testando quanto tempo cada protetor funciona pra você, tanto o coletor quanto a calcinha são seguros. Caso seu fluxo seja super master intenso, faz o uso dos dois juntos pode ser sua salvação.

Entenda se seu fluxo é leve, moderado ou intenso

Em relação a saúde, geralmente os protetores internos requerem mais cuidado, pois podem causar infecções se esquecidos, além das horas limite, dentro do canal vaginal. Em caso de infecções ainda não tratadas, o mais indicado pode ser suspender o uso temporariamente, também. Mas, sempre tomando os devidos cuidados preventivos, dá tudo certo!

Conclusão: ambos são opções sustentáveis, higiênicas e econômicas. Cada um tem suas vantagens específicas que são de gosto individual e único, e formam uma bela dupla de qualquer forma <3

E claro: se você não gosta de protetores internos ou sente desconforto de usá-los em alguns dias do período menstrual (bem no início ou no final), provavelmente se dará super bem com as calcinhas absorventes.

Leia também: As 4 dúvidas mais frequentes sobre as calcinhas menstruais

5 situações em que a calcinha e o biquíni menstruais fariam toda a diferença

Você tem nojo da sua menstruação? Te propomos estas 7 reflexões

4.8 (96.8%) 25 votos
Comentários

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

Quer ver algum tema específico no blog? Conta mais!





Entra com a gente nessa ;)

DIGITE SEU NOME E E-MAIL PARA FICAR POR DENTRO DE TUDO