Entenda as 2 fases do ciclo menstrual e seus efeitos

Entenda as 2 fases do ciclo menstrual e seus efeitos

por Victoria Castro
|
18/09/2018
|

Desde a primeira menstruação, vivemos com ciclos menstruais ao longo de boa parte da nossa vida. Conforme já falamos no Glossário da Menstruação Sem Neuras, o ciclo menstrual é todo o período entre uma menstruação e outra.

O ciclo é contínuo e está sempre acontecendo, exceto durante a gravidez e durante o uso de anticoncepcionais hormonais – pílula oral, anel vaginal, adesivo, injeção, implante… Todos esses inibem o ciclo menstrual durante o uso, então é válido dizer que esse acompanhamento do ciclo é possível apenas para quem atualmente não está em uso de contraceptivos hormonais, ok? =)

Então…

Ao longo do ciclo menstrual, produzimos dois principais hormônios: estrogênio e progesterona. Estes hormônios provocam algumas mudanças no funcionamento do nosso corpo, e podemos percebê-las tanto fisicamente quanto até no nosso humor e na nossa disposição!

Para entendermos melhor, vamos dividir o ciclo menstrual em duas fases: a fase folicular e a fase lútea.

A fase folicular

É a primeira fase do ciclo. Começa no dia 1 do ciclo menstrual, que é o primeiro dia da menstruação, e vai até o dia da ovulação, que não tem data pré-determinada para acontecer.

Justamente por isso, a fase folicular pode ser bem variável para cada organismo e para cada ciclo, sendo mais curtinha em ciclos mais curtos (de até 24 dias) e mais longa em ciclos mais longos (mais de 30 dias).

A fase folicular tem esse nome porque é a fase onde os folículos, que são como várias “casquinhas” situadas nos ovários, cada uma com um óvulo dentro, começam a crescer.

Ao longo dessa fase, uma dessas casquinhas vai se destacar e crescer mais que as outras, se tornando, na famosa (ou não) nomenclatura biológica, o folículo dominante. Por dentro, ela está amadurecendo o óvulo que provavelmente será liberado durante a ovulação.

Na fase folicular, o hormônio que domina é o estrogênio, cujos níveis vão aumentando até a ovulação. Nesta fase, passados os primeiros dias de menstruação, em que os níveis hormonais estão em baixa, a disposição e a energia tendem a subir, assim como a libido – tanto sexual como pela vida!

Junto ao estrogênio, também se eleva o nível de outro hormônio, a testosterona (sim, nós também produzimos!), que potencializa esses efeitos. É um bom momento para praticar exercícios físicos mais intensos e tomar decisões importantes.

Efeitos do estrogênio

O estrogênio também faz maravilhas na nossa aparência: nossa pele fica mais brilhante e macia e o rosto fica ligeiramente mais simétrico. Internamente, ajuda nossos ossos e músculos.

Fonte: www.bluebirdpads.com/code-red-every-woman-know/

Também sentimos os efeitos do estrogênio…. na vulva. Sim, na vulva! Com o estrogênio em alta, começamos a produzir muco cervical, que podemos perceber tanto no papel higiênico, após irmos ao banheiro, como nas sensações que ele provoca na vulva. Como se estivesse “escorregando”, sabe?

O aparecimento do muco – que pode ter aspecto mais cremoso, leitoso, grudento, elástico, lubrificante, etc – e suas mudanças são parte do ciclo menstrual natural e saudável, e é bem diferente do corrimento, que é sinal de que algo não vai bem.

A fase lútea

É a segunda fase do ciclo menstrual. Vai do dia da ovulação até a próxima menstruação, quando inicia um novo ciclo e começa tuuudo de novo.

Ela tem esse nome porque, após a liberação do óvulo, aquela “casquinha” (folículo) que fica dentro do ovário e que envolveu o óvulo até então se transforma em um corpo lúteo. Este é uma glândula que surge, cresce muito (até cerca de 3 centímetros) e se desfaz em questão de dias!

Por isso, a fase lútea, ao contrário da fase folicular, tem uma duração limitada bem certinha: de 10 a 16 dias, em ciclos saudáveis. Esse é o tempo que o corpo lúteo dura até se desfazer CASO não tenha ocorrido uma gravidez. No caso de gravidez, o corpo lúteo se mantém firme e forte.

Essa fase é mais ou menos “fixa” para cada pessoa. Logo, se a fase lútea da Zuzu for de 14 dias, a Zuzu habitualmente vai menstruar 14 dias depois de ovular, com poucas variações, como um dia pra mais ou pra menos. Algumas pessoas tem fase lútea de 11 dias, outras de 13, outras de 15….

Nela, o estrogênio continua sendo produzido, mas outro hormônio entra em ação: a progesterona! O próprio nome já diz sobre sua origem: “pró-gestação”, o que significa que este hormônio altera algumas coisas principalmente no nosso útero, para prepará-lo para uma possível gravidez. Isso caaaaso aquele óvulo tenha encontrado um espermatozoide durante o período fértil.

Mas esse hormônio tem várias outras funções essenciais para a nossa saúde, muito além da possibilidade de vir a produzir um bebê.


Efeitos da progesterona


A progesterona “controla” os efeitos do estrogênio, fazendo um bom balanço equilibrado no nosso ciclo. Quando as condições estão ideais, claro. Ela é um hormônio mais calmante, e por isso pode tanto melhorar o nosso sono, nos deixar mais introspectivas e até deixar o intestino mais preguiçoso, de tão poderosa essa calmaria toda.

Ao mesmo tempo, a progesterona melhora o nosso metabolismo, é um antiinflamatório natural e nos protege de alguns tipos de câncer, como o de mama. Já deu pra ver que é um super hormônio, né?

Mesmo com tantas maravilhas, os efeitos mais perceptíveis podem ser diferentes para cada organismo e variáveis para cada ciclo, dependendo inclusive dos nossos hábitos.

É super comum, durante esse período, sentir os seios super sensíveis, a pele mais oleosa, corpo mais inchado e a libido diminuída. Também é comum surgir a famosíssima TPM – que tem dicas para controlar aqui.

Fonte: https://lajollamom.com/drink-warm-lemon-water-in-the-morning/

A fase lútea é um excelente período para se alimentar ainda melhor, evitando açúcar, cafeína e ultraprocessados em excesso. Um chocolatinho em dose moderada não só tem potencial de fazer tudo mais feliz como também faz bem, viu?

Beba bastante água e faça exercícios, que vão dar um up no humor e na energia. Pode ser corrida, caminhada, yoga…

Acima de tudo, a dica especial é: ouça e respeite seu corpo. Se você tem vontade de ficar mais quietinha e curtir a introspecção desse período, tudo bem, tudo ótimo. Pode ser um excelente período para virar o olhar pra si e promover o autocuidado e o autoconhecimento também.

É sempre assim?

Somos cíclicas e existem algumas tendências em cada fase do ciclo. Porém, elas estão longe de ser regra para todo mundo e nem sempre acontecem da mesma forma para a mesma pessoa.

Nosso corpo é uma rede bem complexa! O humor, por exemplo, é super afetado por outros aspectos da vida além de hormônios sexuais!

Algumas pessoas se sentem com menor energia na primeira fase do ciclo (às vezes com sintomas bem intensos, como se fosse uma “TPM” pré-ovulação) e mais alegres e criativas na segunda fase.

Outras ficam com o humor praticamente estável ao longo de todo ciclo. Até mesmo alguns sintomas físicos podem variar: não é raro encontrar pessoas que ficam com os seios ultra sensíveis na fase folicular, e não na lútea.

Como saber cada fase com certeza?

Eu recomendo que todo mundo com ciclos menstruais busque fazer anotações sobre seu humor e sua percepção corporal a cada dia do ciclo, buscando o autoconhecimento e mesmo a descoberta de alguns padrões que se repetem.

Anote sobre seu nível de energia, sobre como percebe seu corpo (seios maiores ou menores, vulva mais inchada), sobre sua libido, sobre suas emoções… Tudo isso é ótimo para se conhecer melhor e prestar mais atenção no funcionamento saudável do próprio corpo.

Porém, essas informações, embora possam ser sugestivas, não indicam com certeza em qual fase do ciclo você está. Inclusive, não são suficientes para afirmar quando é o período fértil, por exemplo, visto que a ovulação não tem data certa para acontecer, como já falamos antes.

Para saber com segurança em qual fase do ciclo você está, é necessário estudar um método de percepção da fertilidade e utilizá-lo.

Existem vários métodos de percepção da fertilidade, cada um com suas regras, e eles são formas muito eficazes de registrar informações e acompanhar o ciclo menstrual. Eles permitem, inclusive, sabermos quando estamos férteis ou não. Vale a pesquisa!

Ciclo menstrual em 2 minutos

Fica a dica desse vídeo, feito pela Glamour Magazine, acompanhando de forma estereotipada e super bem-humorada as fases do ciclo menstrual. Inclusive utilizando, como exemplo, um ciclo de 28 dias, o clichezão dos livros de biologia.

Infelizmente, o vídeo não tem legenda em português, mas pelas expressões, dá pra se sentir contemplada… Ou não!

Conta pra mim: que mudanças você percebe ao longo do seu ciclo menstrual?

Beijos da Vic

 

5 (100%) 2 votos
Comentários

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

Quer ver algum tema específico no blog? Conta mais!





Entra com a gente nessa ;)

DIGITE SEU NOME E E-MAIL PARA FICAR POR DENTRO DE TUDO