Dicas práticas para ciclos menstruais mais confortáveis

Dicas práticas para ciclos menstruais mais confortáveis

by Victoria Castro
|
04/09/2018
|
, ,

Desde muito novas, mesmo antes de menstruarmos pela primeira vez, já escutamos que menstruar é ruim, que dói, que usar absorvente é um saco e que junto da menstruação vêm mais dores, inchaço, o “combo” ódio/amor/estresse/depressão/compulsão/ansiedade e sempre aos extremos.

Muitas vezes, as ideias negativas que construímos sobre a menstruação têm grande peso na forma com a qual nos relacionamos e vivenciamos nosso período menstrual.

 

Mas, além disso, há muitas formas de termos ciclos menstruais mais saudáveis e tranquilos, com menos (ou nenhuma!) cólica, TPM e outros desconfortos supostamente relacionados a ‘hormônios, útero, ovários & cia’.

Bora ver umas dicas práticas?

Durante o ciclo menstrual inteiro: faça exercícios físicos

Praticar exercícios físicos com regularidade libera endorfina, conhecido como o “hormônio do bem estar” e não à toa: as endorfinas reduzem a ansiedade, aliviam a dor e melhoram a disposição e o sistema imunológico. A prática de exercícios físicos também melhora a circulação sanguínea e estimula a produção de outros hormônios benéficos à nossa saúde. Juntamente com um estilo de vida saudável, ser ativa e fazer pelo menos 30 minutos de alguma atividade física diariamente é uma ótima estratégia para vivenciar um período menstrual mais confortável e com menos cólicas.

Durante o ciclo menstrual inteiro: alimente-se bem

Parece uma dica óbvia e já manjada, mas não subestime o poder da alimentação em te proporcionar ciclos menstruais incríveis ou tenebrosos. O impacto que a alimentação durante o ciclo inteiro (período entre uma menstruação e outra) tem na TPM e nas cólicas durante o período menstrual, para a maioria das mulheres, é surpreendente.

Ter uma alimentação balanceada, com todos os macronutrientes (gorduras, proteínas e carboidratos), é fundamental para produzir hormônios saudáveis, e por consequência, ovular de forma saudável – no caso de quem não utiliza contraceptivos hormonais. Assim, produzimos, dentro do próprio ‘corpitcho’, outros hormônios benéficos que reduzem a TPM e a dor. Estas, muitas vezes, são sintomas de deficiências nutricionais ou, de forma mais abrangente, da falta de tempo de sermos mais cuidadosas com nosso organismo. Algumas formas de melhorar a qualidade da alimentação são:

  • Priorize comida de verdade. Comida de verdade é, basicamente, o que sua tataravó reconheceria como comida. A comida de verdade não vem numa embalagem com uma lista extensa de ingredientes; ela existe por si só, e na maioria das vezes poderíamos encontrá-la in natura. Reduza a quantidade de processados e ultraprocessados (alimentos produzidos em indústria) e aumente a quantidade de comida simples no seu dia a dia. Experimente novos sabores, conheça as feiras perto de você. Certamente a saúde como um todo agradece – e, dependendo das suas escolhas, o bolso também!
  • Consuma alimentos ricos em ômega 3 para cólicas. O ômega 3 é uma gordura encontrada em sementes e na pele de alguns peixes e possui ação anti-inflamatória, sendo um importante auxiliar na redução ou até eliminação das cólicas menstruais. Alguns alimentos ricos em ômega 3 são sementes de linhaça, sementes de chia, nozes e sardinha.
  • Consuma vitaminas do complexo B para sintomas de TPM. As vitaminas são substâncias que nosso corpo não produz sozinho, mas que são necessárias para a regulação de várias atividades fisiológicas do nosso organismo. É por meio da alimentação que as obtemos. As vitaminas do complexo B são um grupo de vitaminas essencial para várias funções, entre elas o humor e a disposição. Arroz integral, aveia, semente de girassol, gema de ovo e folhas verdes são excelentes fontes de vitamina B1 e B6, por exemplo, intimamente relacionadas com a sensação de bem estar e a melhora de enjoos e dor de cabeça que podem ocorrer no período anterior à menstruação.
  • Capriche no cálcio, zinco e magnésio. Estes três minerais podem ajudar bastante na redução de cólicas menstruais e na regulação hormonal. O zinco, particularmente, também é um grande aliado no combate a acne. Além das fontes de origem animal (carnes, ovos e alguns laticínios), encontramos esses nutrientes em vegetais e folhas verde-escuras, castanhas, levedo de cerveja e sementes de abóbora.
  • Evite frituras, açúcares e cafeína antes de menstruar. Geralmente, estes são alimentos que se tornam um problema quando consumidos nas cerca de duas semanas anteriores à menstruação, por intensificarem as cólicas e/ou os desconfortos. É importante testar o que não faz tão bem para você e evitar ao máximo. Pra mim, por exemplo, a cafeína é indiferente, ao passo que comer ‘friturinhas inocentes’ de óleo de cozinha provocam uma guerra de espadas no meu útero. Algumas mulheres sentem melhora quando cortam laticínios ou trigo. Se você sente muitas dores no período menstrual e tem consumido em excesso estes alimentos, pode ser uma boa reduzir/cortar durante uns dias para ver se melhora.

Se você tem TPM e/ou cólicas fortes sem nenhuma condição ou patologia envolvidas (falaremos um pouco mais logo abaixo), experimente tentar estas dicas. Garanto que sentirá diferença!

Durante a menstruação: calor!

A boa e velha bolsa de água quente (ou um pano quentinho) traz bons resultados no alívio da cólica. Pode ser uma boa alternar entre a região do ventre e a região das costas, próximo à lombar, dependendo de onde estiver a dor. Esquentar os pés e tomar bebidas quentes, como chás, também podem ajudar. Eu, particularmente, tive bons resultados com chá de folha de amora (que é rico em magnésio!) e com chá de orégano.

Durante a menstruação: aproveite a oportunidade para fortalecer o autocuidado

Entendemos que a rotina às vezes é exaustiva e até maçante. Acaba sendo inevitável negligenciarmos os cuidados com a nossa saúde em função de sermos produtivas. Somos cíclicas, e pelo menos durante o início do ciclo menstrual, há uma tendência de a nossa energia e disposição estarem lá embaixo, devido à queda hormonal.

Neste caso, naturalmente gostaríamos de ficar, às vezes, um pouco mais “quietas”. A impossibilidade de colocar isso em prática pode piorar e muito a nossa relação com a menstruação. Mas talvez, pela própria sobrevivência, seja necessário analisar quais cuidados básicos são possíveis de acrescentar na nossa rotina para vivenciarmos este período com maior conforto. Considerando isso, é muito importante ressaltar:

Investigue situações mais complexas!

Não é normal sentir dores incapacitantes, que te impedem de levantar da cama, que causam desmaios e/ou que não passam utilizando medicamentos.

Não é normal ter oscilações de humor extremamente severas, que te prejudiquem de forma profunda nas relações pessoais e no trabalho.

Estas situações exigem uma investigação aprofundada com um profissional de confiança. Dores pélvicas principalmente durante a menstruação podem ser um sintoma de endometriose, um distúrbio que provoca o crescimento do endométrio fora do útero e que acomete milhões de mulheres no Brasil. A endometriose causa dores, sangramentos e pode provocar até infertilidade.

Já as oscilações de humor severas durante o período da TPM, que se “estendem” do “comum”, podem ser um sinal de um tipo mais grave de TPM, a TDPM – Tensão Disfórica Pré-Menstrual, cujo tratamento é feito com auxílio médico e psicológico.

Como sempre reforço, não podemos naturalizar a dor e o sofrimento feminino como algo normal e natural. A dor é a forma que nosso organismo nos comunica que algo não está ok. Tenhamos em mente, então, que não naturalizar a dor como algo intrínseco à menstruação e a ter útero e ovários é essencial para promovermos o autocuidado e a boa relação com os nossos ciclos.

Abraço!
Vic

Avalie este post

Deixe uma resposta

veja também outrosPosts relacionados





Tem algum tema específico que você quer ver no blog?
Clica aqui e fala com a gente. ;)

cocrie e receba as novidades e promoções viva essa experiência!