Como abrimos diálogo sobre menstruação produzindo bioabsorventes

Como abrimos diálogo sobre menstruação produzindo bioabsorventes

por Herself
|
18/04/2019
|
, , ,

Na Virada Sustentável de Porto Alegre, tivemos a oportunidade de facilitar uma oficina de confecção de Bioabsorventes e Educação Menstrual.

Nela, mais de 40 mulheres, de todas as faixas etárias, entenderam melhor o funcionamento do ciclo menstrual, as questões de higiene menstrual e puderam produzir e costurar, à mão, seus próprios absorventes de pano.

Estes protetores, no caso, são os bioabsorventes laváveis e reutilizáveis, produzidos a partir de retalhos de tecidos tecnológicos das produções de calcinhas absorventes Herself.

Por que fazer bioabsorventes?

Entendemos que é muito importante ocupar espaços para falar sobre Educação Menstrual e sustentabilidade. E quando é possível juntar esses dois tópicos, melhor ainda!

Para facilitar esse contato com as temáticas, o trabalho manual de costurar os bioabsorventes foi a nossa ferramenta. O trabalho manual sensibiliza e invoca o cuidado e a sensação de pertencimento. E, no caso de um absorvente de tecido, é a possibilidade de fazer o próprio protetor menstrual. É estar em contato com um artigo tão íntimo de higiene desde o iniciozinho da sua produção, sabe?

Nós, da equipe, aprendemos a fazer os moldes, cortar os tecidos e montar e costurar os bioabsorventes com a Ana, nossa parceira e amiga de São Paulo. A Ana já é facilitadora de rodas de mulheres e de confecção de absorventes de pano há um tempo. Então, a experiência, a iniciativa e os ensinamentos dela foram fundamentais para fazermos a nossa oficina rodar aqui em Porto Alegre. Muita gratidão a essa mulher incrível!

Os tecidos

Não só proporcionar a abertura dos diálogos sobre menstruação, mas também fortalecer a cocriação e sustentabilidade locais!

A ideia de ensinar mais pessoas a produzir absorventes de pano também parte de uma iniciativa de destinarmos com propósito parte dos “resíduos” das produções das calcinhas da Herself. Afinal, são tecidos tecnológicos, ultra absorventes e com tratamento antimicrobiano que foram pensados e desenvolvidos para absorver a menstruação de forma segura, higiênica e confortável.

Quando esses tecidos são cortados para a confecção das calcinhas, as partes não utilizadas rendem o material suficiente para a produção de bioabsorventes. Incrível, né?

Leia também: As 4 dúvidas mais frequentes sobre calcinhas menstruais

Como empresa, é nosso papel ter total responsabilidade sobre os nossos tecidos e resíduos de fabricação. Logo, fortalecer nossos pilares enquanto fazemos isso é muito gratificante.

O que rolou

Tivemos, de início, uma breve fala da Raíssa, cofundadora da Herself. A Ra falou justamente do propósito da Herself de assumir a responsabilidade de falar sobre menstruação e sobre higiene menstrual.

Isso porque o tabu da menstruação e a falta de acesso a protetores menstruais e saneamento básico atingem muitas pessoas (especialmente meninas em idade escolar e situação de vulnerabilidade) no mundo, sendo um obstáculo a mais para uma menstruação digna e o desenvolvimento das potencialidades – em todos os âmbitos – de quem menstrua.

Em seguida, a Victoria, educadora menstrual da Herself, facilitou o entendimento da fisiologia do ciclo menstrual, com dicas para lidar melhor com o período menstrual e para ver a menstruação como algo positivo, interpretando-a como um sinal de saúde.

Posteriormente, partimos para os bioabsorventes: mão da massa! Passo a passo, fomos costurando as camadas:

A anatomia dos bioabsorventes é parecida com a das calcinhas menstruais: a camada em contato com a região íntima é 100% algodão, a camada intermediária é ultraabsorvente e antimicrobiana e a última camada é antimicrobiana e hidrorepelente. No caso dos absorventes de pano, usamos uma camada de tecido tricoline estampado, de reaproveitamentos.

Agora: imagina o poder de 40 mulheres, com idades entre 12 e 70 anos, fazendo bioabsorventes juntas numa sala?! Teve muita união, diálogo e cocriação!

Tivemos três gerações costurando juntas (avó, mãe e filha), gente disposta a promover e disseminar a produção dos bioabsorventes… E, ainda, a ilustre presença da fisioterapeuta pélvica Ana Gehring, do Vagina Sem Neura, costurando com a gente <3

Que momentos assim se repitam cada vez mais! Vamos trabalhar muito para isso.

E você, ficou com vontade de costurar também? Conta pra nós!

 

5 (100%) 2 votos
Comentários

2 respostas para “Como abrimos diálogo sobre menstruação produzindo bioabsorventes”

  1. Luana disse:

    Que iniciativa linda! Fiquei encantada… Trabalho com adolescentes e fiquei imaginando um encontro parecido com esse para trabalhar essas questões e compartilhar experiências…

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

Quer ver algum tema específico no blog? Conta mais!





Entra com a gente nessa ;)

DIGITE SEU NOME E E-MAIL PARA FICAR POR DENTRO DE TUDO