Quando temos uma relação tóxica com a gente mesma

Quando temos uma relação tóxica com a gente mesma

por Fran Bittencourt
|
12/12/2018
|

Ilustração: Dylan Glynn

Você já ouviu falar em relacionamento abusivo? Geralmente esse termo se refere a casais que têm dificuldades para ter uma relação saudável. Mas, e quando temos uma relação tóxica com a gente mesma? Como detectar e começar a transformar essa relação? É sobre isso que vamos conversar hoje!

O nosso primeiro, mais íntimo e verdadeiro relacionamento, antes dos que são construídos com outras pessoas, é com a gente mesmo. Ninguém nos conhece mais, sabe quais são as nossas maiores motivações e traumas mais profundos do que nós mesmos. Às vezes podemos não perceber, mas no fundo temos todas as respostas que precisamos, cada um de nós tem um guia interno que sabe o que é melhor para si! Que tal darmos os primeiros passos rumo a uma relação interna mais saudável, treinando o nosso amor-próprio?

Sintomas:

Eu percebi que quando me olho no espelho e 1) me critico antes de elogiar as minhas qualidades, 2) dou corda para pensamentos que não são bons pra mim e que 3) me comparo com outras pessoas; estou tendo uma relação tóxica comigo mesma.

Somos nossos maiores críticos, você já reparou? A quantidade de críticas, exigências e palavras rudes que usamos em nossos pensamentos para nos definir e nos cobrar é enorme. Nos punimos ao invés de nos incentivarmos.

Se quando uma amiga nos conta que não está se sentindo muito bonita, confiante e inteligente nós logo saímos em sua defesa, lhe protegendo de seus Censores, que tal fazermos mais isso com a gente também? Nossos pensamentos nos testam: ora pensamentos que somos incríveis, ora que somos péssimas. Todos os nossos pensamentos, entretanto, são hipóteses. Podemos aceitar os que nos identificamos – e duvidar, questionar e nos desfazer daqueles que não nos servem, que não nos trazem coisas boas e não nos incentivam a ser nossa melhor versão.

Eu sei que se dedicar a melhorar a nossa relação interna é desafiador, ainda mais quando estamos repetindo esses padrões há algum tempo, mas nunca é tarde demais para se perdoar, se aceitar e se dar muito carinho. Eu gosto muito de aprender com a experiência de outras pessoas e talvez por isso esteja começando a compartilhar cada vez mais meus aprendizados, aqui no blog na forma de textos e no meu instagram na forma de poesias, músicas e fotos. Eu aprendo bastante com outras pessoas e percebi que compartilhar nossos aprendizados é uma linda forma de crescermos juntos.

Também gosto bastante de ler sobre autoconhecimento, adoro os livros do Sri Prem Baba. Talvez você já tenha ouvido falar no livro “Propósito”, no qual ele traz importantes dicas para nos conectarmos com o nosso propósito de vida. Também gosto muito de ver os vídeos da Monja Coen, no Youtube. Ela compartilha tudo o que aprendeu ao longo de sua vida e dá conselhos bem simples e práticos para lidarmos com nossas emoções e nos aceitarmos plenamente. Além disso, vejo os vídeos da Juliana Goes, ela é a empreendedora daquele aplicativo que falei nesse post, o Zen App, e em seu canal do Youtube aborda muitas questões de auto-confiança, amor-próprio e autoconhecimento.

Ter atividades diárias na nossa rotina também ajuda muito nesse processo, é nesse momento que colocamos em prática nossa intenção de melhorar. Tem duas atividades que eu comecei a fazer e que me ajudam muito nessa fase, conheci elas no livro “O Caminho do Artista” da Julia Cameron. A primeira é escrever 3 páginas matinais, com qualquer pensamento que venha a sua cabeça, todos os dias de manhã. Já faz 180 dias que eu comecei e tenho aprendido muito sobre mim nesse processo. Essas páginas você não precisa mostrar pra ninguém e nem ler de novo se não quiser. São particulares. Lá eu me expresso livremente e escrevo sobre meus desafios e também sobre as minhas conquistas – é tão bom receber um elogio de si mesma

O segundo exercício é o Encontro com a Artista: você deve reservar um tempo de 2h, 1x por semana para se levar a um encontro comigo mesma, apenas você é convidada! Você pode escolher fazer o que quiser. O legal é que como nos conhecemos muito bem sabemos também nossos gostos e como nos mimarmos! Bora marcar um encontro com você mesma essa semana? ps: lembra de se levar pra sair de casa nos seus encontros de vez em quando e fazer mais do que assistir um seriado na tv!

ah, isso eu escrevi pra mim mesma viu, porque por aqui sou mestre em assistir seriados.

Escolho seguir pessoas que pensem como eu gostaria de pensar e ficar perto das que têm atitudes que eu gostaria de ter. Frequentar ambientes com uma energia que me faça bem e que me inspire. Tudo isso movimenta a nossa energia e nos ajuda a sermos a nossa melhor versão. Confie no seu processo que vai dar tudo certo! E lembra que cada um de nós tem seu próprio ritmo, respeitar ele é muito importante!

E por aí, que atividades e dicas você tem aprendido e tem te ajudado a ter uma relação mais saudável com você mesma?

Comenta aqui embaixo, vamos adorar saber!

Um beijo, Fran.

5 (100%) 2 votos
Comentários

2 respostas para “Quando temos uma relação tóxica com a gente mesma”

  1. Rafaela disse:

    Que texto leve, lindo e necessário. Porque as vezes a gente pensa que segue indo muito–bem-obrigada, mas sequer se doa pra si mesma com a mesma intensidade que nos doamos para o trabalho, por exemplo.

    • Fran disse:

      É verdade, Rafa!
      Muitas vezes a gente se reserva aquela sobra do nosso tempo, mas esquecemos que somos a parte mais importante dele e que nos cuidando todo o resto se torna muito mais prazeroso de ser feito! <3

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

Quer ver algum tema específico no blog? Conta mais!





Entra com a gente nessa ;)

DIGITE SEU NOME E E-MAIL PARA FICAR POR DENTRO DE TUDO