Cólicas menstruais: 9 maneiras de diminuir a dor

Cólicas menstruais: 9 maneiras de diminuir a dor

por Victoria Castro
|
22/01/2019
|
, ,

A cólica menstrual é a dor na região pélvica durante a menstruação. Infelizmente, ela atinge até 75% das mulheres em idade fértil em algum momento de suas vidas. E, quem tem, sabe que é uma dor que vem, passa, vem de novo… E continua por horas ou dias dessa forma, às vezes irradiando para as costas e pernas.

A intensidade da cólica também varia para cada pessoa e para cada período menstrual. Às vezes, a cólica é suportável e não requer grandes cuidados e tipos de controle. Em outras, a dor atrapalha a rotina e se torna um impeditivo para várias atividades.

Basicamente, há dois tipos de causa para as cólicas menstruais: química ou funcional.

Causa química (cólica primária)

Neste caso, a causa são as prostaglandinas, sinais químicos que estimulam a musculatura do útero para eliminar o fluxo. Simplificando, podemos dizer que há o tipo 1, o tipo 2 e o tipo 3 de prostaglandinas.

Os tipos 1 e 3 funcionam como analgésicos naturais, que aliviam a dor! Já a prostaglandina tipo 2 causa a contração do útero e aumenta a dor. Logo, quanto mais prostaglandina do tipo 2 você produzir, maior a dor. Ela também atinge o intestino, causando a dor de barriga e/ou diarreia que afeta muitas mulheres durante a menstruação.

Causa funcional (cólica secundária)

Em contrapartida, a causa para as cólicas funcionais envolvem endometriose, infecções, fibroides, cistos ovarianos (diferente de ovários policísticos ou micropolicísticos!), DIU e até mesmo passagem cervical muito estreita ou útero retrovertido.

No caso destes dois últimos, que são apenas variações anatômicas e não um “problema”, uma possível dificuldade do fluxo de ser eliminado faz o útero produzir mais prostaglandina do tipo 2, aumentando as contrações e as cólicas.

Já quando existem condições mais complexas, como doenças pélvicas, a dor é intensa, muitas vezes incapacitante e não se restringe a uma parte do período menstrual, e sim persiste durante todo o ciclo. Conforme o que sempre falamos, não se pode naturalizar esse tipo de dor como parte da menstruação. É imprescindível buscar diagnóstico e auxílio profissional, para buscar o tratamento ou conduta para uma melhor qualidade de vida – o que é fundamental, né?

Diminuindo as cólicas imediatamente

No caso das cólicas primárias, é super possível controlar a dor com alguns cuidados e dicas! Se, junto à menstruação, a cólica também já chegou, confere essas dicas para aliviar a dor a curto prazo:

1) Bolsa de água quente

As avós sempre souberam: usar fontes de calor na região do ventre ajuda e muito no controle da dor. Encontre uma posição confortável para ficar com a bolsa de água quente e, se for necessário ficar em pé ou sentada, é possível amarrá-la na cintura com uma toalha ou lenço. Caso você não tenha uma bolsa de água, também é possível utilizar uma toalha aquecida a seco (no micro ondas, por exemplo).

No mercado também existem bolsinhas secas, preenchidas com sementes, que são mais leves e possíveis de carregar para todo lugar!

Se você tem o útero retrovertido ou a sua dor irradia para a coluna lombar, o truque é utilizar uma fonte de calor no ventre e nas costas – quase um “bambolê” de calor!

2) Pressão no ventre

Massagear o ventre e a parte inferior das costas com a ponta dos dedos pode ajudar no alívio das cólicas. Se puder ficar deitada e colocar um travesseiro, almofada ou cobertor enrolado contra o corpo, de bruços, ótimo! As posições mais confortáveis variam para o momento e para a pessoa, mas é importante sempre testar. Inclusive, a yoga tem várias posições indicadas para as cólicas menstruais!

3) Descanso

Sim, a gente sabe como é importante ter um tempo para nós nesses dias mais críticos. No início da menstruação, devido à queda hormonal, é comum que a gente fique um pouco mais fatigada e querendo ficar “na nossa”. Se você puder tirar uns momentos para relaxar e descansar quando a cólica tiver apertando mais, por favor, faça isso.

4) Usar uma Herself

Para as mais sensíveis, utilizar protetores menstruais internos (absorvente interno e coletores) pode causar uma leve pressão e aumentar o desconforto das cólicas. Inegavelmente, nestes casos, protetores menstruais externos podem ser um alívio, já que ficam fora da vagina. Usar só uma calcinha absorvente é melhor ainda!

Conheça as calcinhas absorventes menstruais Herself e viva o seu ciclo com mais conforto, saúde e liberdade!

5) Anti inflamatórios

Medicamentos anti inflamatórios podem aliviar a dor em casos de cólicas simples. Preferencialmente, com prescrição médica, em doses baixas e antes da cólica chegar, viu? Porém, eles não devem ser a solução a longo prazo, pois sobrecarregam o fígado e pioram possíveis desequilíbrios hormonais – também responsáveis por cólicas fortes.

 

Diminuindo as cólicas a médio e longo prazo

Quer investir em um ciclo mais saudável como um todo e, por consequência, usufruir de períodos menstruais mais confortáveis? Claaaaaro, né?! Afinal, quem não? Olha as dicas:

6) Exercícios físicos

Por mais que pareça discurso manjado, não é. Em síntese, os exercícios físicos liberam endorfinas, que também funcionam como analgésicos naturais. Da mesma forma, se exercitar com regularidade também ajuda no equilíbrio hormonal e no fortalecimento dos nossos músculos. Consequentemente, experimentamos cólicas mais leves durante a menstruação, além de vários benefícios para a saúde em um geral.

7) Mais sementes e folhas verde-escuras na alimentação

Vários alimentos possuem boas doses de vitaminas e minerais que, por sua vez, ajudam a diminuir a produção de prostaglandina tipo 2 e reduzem a inflamação. Amêndoas, castanhas, espinafre, couve, agrião, linhaça, sementes de abóbora, sementes de girassol, chia, gergelim, melão e sardinhas são boas pedidas. A cúrcuma ou açafrão também possui várias propriedades anti inflamatórias. Tempere sua comida com ela!

Com a finalidade de diminuir a inflamação, recomenda-se diminuir ou evitar o consumo de leites e derivados e frituras, principalmente nas semanas anteriores à menstruação.  

8) Ômega 3

O ômega 3 é um tipo de gordura encontrada na pele de alguns peixes (como salmão e atum) e em algumas fontes vegetais, como a linhaça. Ele possui propriedades anti inflamatórias e é um dos principais aliados para evitar a cólica e atenuar inclusive sintomas de TPM. Também é possível suplementar o ômega 3, o que pode se mostrar mais eficaz que ibuprofeno para aliviar as dores da cólica primária.

9) Menos estresse

Com toda a certeza, sabemos que o estresse, quando contínuo e persistente, é maléfico para a nossa saúde física e mental como um todo. De fato, a alta liberação de cortisol durante períodos de estresse afeta e muito no nosso equilíbrio hormonal. Portanto, dentro do possível, é recomendado evitar situações estressantes de forma rotineira. Cuide de si e não se cobre tanto. Além disso, não deixe de buscar auxílio na terapia, se necessário.

Vamos cuidar desses úteros? Eles merecem! ♥

Leia também: Contracepção não-hormonal: como prevenir a gravidez sem anticoncepcional

6 passos para entender e lidar com o fluxo menstrual intenso

Até quando nossa menstruação será um tabu?

5 (100%) 3 votos
Comentários

Uma resposta para “Cólicas menstruais: 9 maneiras de diminuir a dor”

  1. kamila disse:

    amei o post……….. gratidão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Quer ver algum tema específico no blog? Conta mais!





Entra com a gente nessa ;)

DIGITE SEU NOME E E-MAIL PARA FICAR POR DENTRO DE TUDO