Como explicar menstruação para filha? Confira dicas para esse momento

Como explicar menstruação para filha? Confira dicas para esse momento

Não tem jeito, uma hora essa dúvida aparece: “afinal ,como explicar menstruação para filha?” Devemos seguir um caminho mais lúdico, ser totalmente didáticas, levar num ginecologista…?

A puberdade é um período de intensas mudanças, e, para as meninas, uma das grandes expectativas é a menarca, nome técnico para a primeira menstruação.

Viver essa expectativa pode gerar um misto de emoções – positivas e negativas – tanto na menina quanto no meio familiar. Por isso criar um ambiente de diálogo é ferramenta-chave para facilitar este processo e incentivar a construção de uma boa relação da menina com o ciclo menstrual.

Mas como fornecer boas informações na hora de explicar a menstruação para sua filha? Em quais momentos falar sobre isso? A gente traz algumas dicas!

Antes de tudo: o que é a menstruação?

A menstruação é um sangramento que acontece, em geral, mensalmente. Ela é um período com duração de 3 a 6 dias, que faz parte do ciclo menstrual.

A menstruação marca o início do ciclo menstrual, quando ocorre uma queda hormonal e o endométrio, que é o tecido que reveste o útero por dentro, descama, saindo na forma de sangue pela vagina.

Durante a puberdade, o cérebro e os ovários das meninas começam a produzir hormônios. Esses hormônios estimulam as mudanças corporais, o amadurecimento dos óvulos e a multiplicação do endométrio, até acarretarem nos primeiros ciclos menstruais.

Um ciclo menstrual é todo o período entre uma menstruação e outra, durando cerca de 23 a 35 dias. Em algum momento do ciclo menstrual, ocorre a ovulação (liberação do óvulo) e, entre 10 e 16 dias depois, inicia a menstruação, começando um novo ciclo.

Durante a adolescência, nem sempre os primeiros ciclos são regulares e ovulatórios, mas ocorrem sangramentos de qualquer forma. Esse primeiro sangramento chama-se menarca, e geralmente acontece entre os 10 e 14 anos de idade.

Anos antes, alguns sinais começam a aparecer, como o aumento da secreção vaginal (completamente normal e saudável), o início do crescimento dos seios e o aparecimento de pelos nas axilas e na região do púbis.

Quando e como explicar menstruação para filha?

Ainda que a menarca ocorra entre 10 e 14 anos, o ideal é explicar a menstruação para sua filha antes dela acontecer. 

Dessa forma, a menina pode se preparar aos poucos, entender que é um processo fisiológico natural e saber o que fazer quando menstruar pela primeira vez.

Facilmente encontramos mulheres adultas que até hoje guardam traumas em relação às suas menarcas justamente porque não sabiam o que estava acontecendo e a quem pedir ajuda. Por isso é tão importante que possamos quebrar esse ciclo de tabus.

Logo, quanto antes se explicar a menstruação para sua filha, melhor. É importante que o assunto seja natural, e que se reforce a menstruação como um evento positivo, de que o corpo está funcionando de forma saudável. Portanto, não reforçar “apelidos” com sentido negativo, como “monstra”, nem falar que rolar de dor durante a menstruação é normal – porque não é e não deveria ser.

imagem do texto como explicar menstruação para filha?

“Mas acho muito nova…”

É preciso considerar que as meninas que têm contato com mulheres adultas que menstruam e/ou que vivem em regiões urbanas e frequentam regularmente a escola geralmente sabem o que é a menstruação desde pequenas. Ou, ao menos, já têm alguma noção.

É comum ouvirmos histórias de crianças com 3, 4 ou 5 anos de idade que viram a mãe, a irmã, a tia ou a prima menstruadas e perguntaram se elas estavam machucadas. Afinal sangrar, para uma criança, geralmente está relacionado a um ferimento e a dor.

Neste momento, não é preciso dar uma explicação científica sobre funcionamento hormonal e descamação do endométrio. Até porque uma criança muito nova sequer tem cognição para entender isso.

Dê informações simples, proporcionais e objetivas às curiosidades da criança: diga que não dói, que acontece com as mulheres mais velhas e que significa que o corpo delas está saudável e funcionando bem. Simples assim.

Se a criança já tiver alguma noção sobre gravidez – e que mulheres fazem bebês dentro de suas barrigas -, dá para explicar que a menstruação é um aviso de que ela está sem bebê naquele mês, por exemplo.

O processo vai ser contínuo. Não é preciso ter um roteiro e dar todo que é tipo de informação em uma só conversa. Ofereça o que pode ser útil à menina, se mostre aberta. Leia sobre a menstruação, tire dúvidas sobre o processo e mostre segurança e confiança para conversar, respeitando o espaço e a intimidade que você tem com ela. Compartilhe sua experiência também!

Minha filha teve sua primeira menstruação. E agora?

Crianças, quando menstruam, continuam crianças. Não viram “moças” ou “mulheres” imediatamente.

O processo de mudança de mentalidade característico da puberdade e do adolescer – passar de criança para adulta – vai acontecer no seu tempo. Ou seja, não acontece de um dia pro outro, com uma mudança total, e nem acontece em decorrência da menstruação.

Em alguns momentos, a menina pode apresentar um comportamento considerado mais “infantil” e, em outros, mais “adolescente”. Isso é normal!

Essas mudanças não estão diretamente relacionadas a menarca. Então, não se pode pressionar a menina a agir de forma diferente ou abrir mão de comportamentos considerados infantis (como brincar, por exemplo) apenas porque menstruou.

Alguns pontos práticos e muito importantes de se ter em mente caso esteja lidando com uma menina que menstruou pela primeira vez:

1) Respeite a privacidade dela.

Se a menina pedir para não contar a mais ninguém por enquanto, seja família, amigos ou vizinhos, respeite. Quando reconhecemos a menstruação como algo natural e corriqueiro, pode ser uma novidade pequena para nós. Mas para ela é uma informação nova a se lidar e que requer novos hábitos a se adotar, por mais preparada que esteja. Busque ter empatia com ela neste momento.

2) Parabenize-a, diga que está feliz por ela estar saudável e crescendo.

Ofereça ajuda e dê dicas práticas: se ela for usar os protetores descartáveis primeiro (absorventes), oriente sobre os tamanhos, a retirar de tantas em tantas horas, enrolar e colocar no lixo (jamais no vaso sanitário), a reforçar a lavagem das calcinhas e manter a rotina de higiene normal, etc…

3) Não precisa necessariamente levá-la ao ginecologista

Apenas porque ela menstruou pela primeira vez não é necessário levar ao gineco. A não ser que, claro, a menina expresse este desejo ou tenha queixas (dores fortes, fluxo muito intenso, ardência ou coceira, etc).

Menstruar é tão fisiológico quanto respirar e fazer a digestão. Da mesma forma que pouquíssimas pessoas considerariam levar os filhos meninos a um urologista durante a puberdade sem queixas ou problemas, apenas por estarem crescendo, não há porque forçar uma consulta a um(a) médico(a) especialista em sistema sexual e reprodutor feminino se não há razões para isto.

Em resumo, na hora de explicar menstruação para sua filha…

É preciso criar uma rede de conversa que forneça confiança e segurança para a criança-adolescente desde cedo. Podemos dizer que este é o grande segredo.

Este cuidado precisa estar em todo lugar: na família, na escola, na saúde pública. Todas(os) temos o direito de crescer de forma saudável, com conhecimento básico sobre nosso próprio corpo e com respeito a ele. E é nisso que esperamos colaborar! 🙂

E a sua experiência, como foi? Teve espaços de conversa antes da sua primeira menstruação? Conta pra gente!

Beijo e abraço!

Share this post

Comments (7)

  • Tatiane

    Amei as informações! Eu não tive orientação nenhuma antes nem depois, sempre me virei só. Hoje sou mãe e minha menina 12 anos acabou de ficar mocinha. Ela é a mais nova da classe todas amigas já passaram por essa fase então p ela tá sendo fácil e outr coisa eu sempre converso, ensino e aconselho minha filha, quando aconteceu eu beijei parabenizei reforcei o que já havia ensinado e tenho certeza que está sendo mágico p ela. Até bolo com velinha teve? agora continuarei orientando nas novas experiências de vida.

    24 de agosto de 2019 at 22:47
    • Herself

      que lindo, Tatiane! educação é tudo <3 esperamos que ela viva seus primeiros ciclos com toda a naturalidade que merece!

      26 de agosto de 2019 at 10:17
  • Ana Paula

    Eu não tive ajuda. Mas já sabia um mais ou menos o que era e falei pra minha mãe que improvisou um absorvente. E tudo deu certo.

    18 de novembro de 2019 at 00:53
  • Edu Guimarães

    Salve, Victoria!
    Muito obrigado pela ajuda, tenho uma filha de 9 anos e lendo suas “dicas” tenho uma boa linha de diálogo pra conversar com ela!
    Muito obrigado, mesmo!

    1 de janeiro de 2020 at 20:28
  • Andrelle Braúna Araújo

    Eu me senti velha kkkkk.. mais a experiência com minha filha foi muito boa.. pois já havia conversado com ela e ela sabia que ia acontecer também.. foi super aberta só pediu pra não contar a ninguém e assim eu fiz.. não contei.

    23 de junho de 2020 at 18:42
  • Mii

    Obrigada pelas informações Vic!
    Foram muito importantes, pois minha filha Vic (também)rs, ficou mocinha e seu post me esclareceu algumas dúvidas 😉

    17 de agosto de 2020 at 11:24
  • Wanessa

    Perfeito!
    Estou lendo essa matéria dois dias depois da menarca, mas a dois anos atrás a pediatra disse que por minha filha ter sobrepeso, ela talvez menstruaria mais cedo. Achei que tinha vindo cedo demais ,mas ela está com 10 anos e 8meses, então até que está na média!!!
    Eu na empolgação de não tornar esse momento traumático (como pessoas de fora disseram para ela que ela ter muita dor e tals, ela ficou muito apreensiva), comprei uma cesta, e coloquei dentro chocolates, um porta absorvente discreto, sabonete íntimo, absorvente e dois conjuntos de calsinhas e sutiãs bem de mocinha!. A reação dela foi bem engraçada! Ela não sabia se ficava feliz ou frustrada de encarar aquela realidade com os itens de rotina rsrs. Mas o objetivo foi alcançado!

    14 de junho de 2021 at 02:10

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.