15% OFF EM PAGAMENTOS NO PIX

PRIMEIRAHERSELF 10% OFF NA PRIMEIRA COMPRA

FRETE GRÁTIS EM COMPRAS ACIMA DE R$300

Seu carrinho

Seu carrinho está vazio

Sangramento após relação: o que pode ser? Veja 6 causas prováveis

Sangramento após relação: o que pode ser? Veja 6 causas prováveis

Sangramento após relação: o que pode ser? Se você já passou por isso, saiba que existem inúmeras causas. Na maioria das vezes, isso pode ocorrer devido à fricção entre o pênis/objetos/dedos nas paredes vaginais quando falta lubrificação no local. 

No entanto, os sangramentos também podem significar pólipos uterinos, feridas no útero e até endometriose. Confira agora o que cada situação significa e o que fazer!

Sangramento após relação é normal?

Não é normal e esperado sangrar após uma relação sexual. Diferente dos sangramentos de escape que podem ocorrer no início ou final da menstruação, ou mesmo na fase de privação ou adaptação hormonal, o sangramento pós-sexo precisa ser observado com atenção. 

Geralmente, algumas pessoas percebem sangramentos escassos devido à falta de lubrificação vaginal, que pode provocar fissuras nas paredes internas da vagina. Se esse é o caso, o sangue não deve ser expressivo e nem recorrente.

Outra situação possível é após a primeira relação sexual. Isso não ocorre com todas as pessoas e não necessariamente significa que o hímen foi rompido, ok? Mas, novamente, o sangramento escasso pode ocorrer. 

Além dos casos citados, o sangramento abundante ou recorrente deve ser investigado com um especialista. Isso porque complicações como pólipos, feridas no útero e ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) também provocam esse sintoma e devem ser tratadas. 

Leia mais sobre mitos a respeito da vagina e do hímen feminino!

Sangramento após relação: o que pode ser?

Como falamos acima, não é normal ter sangramento após relação. E você pode investigar a causa, ficando alerta para possíveis complicações. 

Confira agora 6 possíveis causas para sangramentos pós-sexo e o que fazer em cada situação:

Fissuras nas paredes vaginais

Antes de mais nada, observe hábitos comportamentais da prática sexual. O que acontece é que, todo ato sexual mais intenso pode gerar fissuras nas paredes vaginais.

Além disso, a falta de lubrificação vaginal também causa atrito interno. Use lubrificantes para ajudar a evitar isso!

Outra situação é a penetração vaginal com os dedos. É necessário cuidar do tamanho das unhas do parceiro ou parceira, evitando cortes internos. Dessa forma, você evita ferimentos e infecções associadas a essa prática. 

Sugestão de leitura: Saúde sexual para sexo entre vulvas

ISTs

Além disso, quem pratica a penetração entre pênis-vagina ou vagina-objetos, sem proteção de camisinha, pode correr o risco de contrair uma Infecção Sexualmente Transmissível, que também pode gerar sangramentos. 

Na maioria das vezes, as ISTs provocam outros sintomas associados como dor, coceira, ardência, mau cheiro e corrimentos. Fique em dia com os exames de rotina e observe sempre qualquer sintoma atípico. 

Endometriose

A endometriose é uma condição de saúde marcada pelo crescimento do tecido endometrial fora do útero. Um dos sintomas mais comuns são cólicas menstruais incapacitantes, dores ao urinar ou durante a relação sexual e, ainda, sangramentos em qualquer fase do ciclo. 

Se você possui esses sintomas, leia nosso artigo sobre o tema, entendendo as causas e os tratamentos mais adequados. 

Pólipos uterinos

Os pólipos uterinos são também uma possível causa. Tratam-se de crescimentos benignos de pele irrigados por vasos sanguíneos. Eles se formam como umas bolinhas, muito semelhante aos cistos e durante a relação sexual são friccionados, gerando o sangramento.

Outros sintomas como fluxo menstrual intenso, dor pélvica, menstruação irregular e dificuldade para engravidar podem ocorrer também. Recomenda-se o tratamento específico para cada caso em consultório médico. 

Feridas no útero

Mais uma possibilidade são as feridas no útero. O que acontece é que, quando a camada interna do colo do útero se exterioriza, esse tecido gera uma ferida muito sensível ao atrito sexual. Dessa forma, a penetração vaginal provoca pequenos sangramentos.

Você pode diagnosticar o caso em um exame preventivo e seu tratamento vai depender da intensidade das feridas. Em casos de sangramentos recorrentes, procure um especialista para investigar a situação. 

Sangramento após relação e cólica

Algumas mulheres experimentam cólicas e leve sangramento durante a ovulação, que pode coincidir com a atividade sexual. Também há a possibilidade de cistos e problemas uterinos, que podem causar cólicas e sangramentos após as relações. 

Infecções, irritações e traumas, são diversos cenários possíveis que precisam ser acompanhados. Primeiro, busque se auto-observar: isso acontece apenas pontualmente? 

Busque ajuda médica se for um quadro recorrente. 

Pequeno sangramento após relação pode ser gravidez

O sangramento relacionado a gravidez é o chamado “sangramento de nidação”, que acontece quando o embrião se fixa no revestimento uterino. Isso acontece entre 6 e 12 dias após a concepção. Mas saiba que não é tão comum que ele aconteça. 

Como mencionamos, existem diversos motivos possíveis para sangramentos após a relação. Se for acompanhado de outros sintomas, como atrasos no ciclo, náuseas ou sensibilidade nos seios, faz sentido fazer um teste de gravidez ou consultar um profissional de saúde. 

Já se for um quadro persistente, acompanhado de dores, busque atendimento médico para descobrir as causas e receber orientações. 

E o que pode ser sangramento após relação no homem?

A presença de sangue no esperma pode não ser grave e nem envolver doenças subjacentes. Na maioria das vezes, uma sanguinolência na ejaculação pode significar uma pequena lesão nas glândulas ligadas à próstata e deve cessar rapidamente.

Contudo, o sangramento pode ter outras causas e precisa de atenção se ocorrer em homens de mais de 40 anos. Isso porque é uma faixa etária mais propensa a complicações na próstata e, nesse caso, o sangramento exige uma investigação mais apurada.

Afinal, condições como inflamação ou câncer de próstata podem provocar sangramentos. Para além disso, é possível investigar se há fraturas ou traumas no pênis ou mesmo infecção no trato urinário. 

De maneira geral, recomenda-se observar se o sangramento é persistente ou vem com sintomas associados como dor ao urinar ou evacuar, por exemplo. 

O que fazer se tiver sangramento após relação?

Fique sempre atenta se o sangramento foi pontual ou se está se manifestando de forma recorrente. Todo sangramento deve servir de alerta, mas se isso ocorrer sem razão aparente e se repetir, você deve procurar ajuda imediatamente.

Outras situações que carecem de alerta são sangramentos abundantes. Portanto, procure um especialista ginecologista para entender o que pode estar acontecendo.

Em geral, os tratamentos para sangramentos anormais dependem da causa da ferida, infecção ou condição de saúde manifestada. Procure um médico para realizar exames e iniciar os processos adequados.

Além disso, lembre-se que não é normal sentir dores durante a relação sexual. Deve-se considerar qualquer coisa que incomodar seu bem-estar físico e emocional. 

Você também pode gostar: Transar menstruada: guia completo com dicas para sexo na menstruação

banner-sangramentoposrelacao
Post anterior
Próximo post

1 comentário

  • Teresa José jone paissone

    Gostei da resposta

Deixar comentário

Observe que os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados